menu

| Região Santana

Avançar no caminho....

     O Papa Francisco, na Exortação Apostólica "A alegria do Evangelho", pede que “todas as comunidades se esforcem por atuar os meios necessários par...

  

 

O Papa Francisco, na Exortação Apostólica "A alegria do Evangelho", pede que “todas as comunidades se esforcem por atuar os meios necessários para avançar no caminho de uma conversão pastoral e missionária, que não pode deixar as coisas como estão” (EG 25).

O Santo Padre, ao destacar que as comunidades se esforcem, está dizendo a todos nós que o caminho de conversão pastoral e missionário não é simples e fácil, mas exige determinação da vontade.

A determinação da vontade é fundamental para vencer a acomodação ao ambiente e aos projetos, porque muitas vezes nos contentamos em manter as coisas como estão, atendendo as pessoas que nos procuram e mantendo os projetos já em andamento, sem nenhum esforço de renovação. A acomodação não permite desabrochar no coração e nos olhos o entusiasmo e nos tornamos apenas administradores das comunidades, pastorais e movimentos. Isto se torna perceptível nas reuniões de planejamento do ano, onde apenas se marcam datas de eventos, atividades e reuniões, iguais às do ano interior.

O Papa Francisco disse que “neste momento, não nos serve uma ‘simples administração’” (EG 25), ou seja, este modo de fazer as coisas não pode continuar. É preciso conversão pastoral, é preciso esforço de cada um e de cada comunidade em renovar-se e, assim, gerar um caminho de renovação geral das comunidades.

O esforço que nos pede o Santo Padre está em abrir o coração e a mente para a Palavra que renova todas as coisas; o esforço para compreender as orientações da Igreja que nos indicam o caminho que devemos seguir no processo de conversão pastoral; o esforço para executar o plano de pastoral da Igreja local, nossa Arquidiocese; o esforço para viver em ‘estado permanente de missão’.

Para isso acontecer é imprescindível a determinação da vontade, ou seja, precisamos nos decidir pelo caminho apontado pelo Santo Padre e pelos Bispos. As comunidades precisam colocar-se em processo de leitura, acolhida dócil e realização das orientações pastorais que estão sendo geradas à luz da Palavra e da realidade em que vivemos. Somente assim percorreremos o caminho de conversão pastoral.

Esta conversão pastoral levará as comunidades e cada um de nós à missão, a fazer acontecer o projeto missionário de Jesus hoje. Mas não o faremos de qualquer modo ou conforme nosso modo de pensar; e, sim, seguindo as orientações do Santo Padre e do projeto de evangelização na Arquidiocese. A comunidade em caminho de conversão pastoral não deixará as coisas como estão, mas fará do 11º Plano de Pastoral da Arquidiocese a orientação segura para avançar no processo de uma comunidade em estado permanente de missão.

O caminho de conversão gerará a consciência de que "a dimensão missionária não é, portanto, mais uma realidade a ser trabalhada, mas é a exigência que deve estar presente em tudo o que se faz. As iniciativas, preocupações e programas pastorais devem estar impregnados pelo anseio e o compromisso de anunciar Jesus Cristo” (11º Plano de Pastoral, 78).

Dom Sergio de Deus Borges

Bispo Auxiliar de São Paulo

Vigário Episcopal para a Região Santana