menu

A missão educativa e o sacramento do matrimônio!

Dom Sergio mostra no artigo que educar os filhos, mais do que um dever, é um direito próprio e primário dos pais.

Hoje encontramos muitas crianças que se aproximam da catequese e não sabem as orações principais dos cristãos como o Sinal da Cruz e a Ave Maria. Pensávamos que alguns pais haviam habidicado somente da educação na fé de seus filhos. Porém, conversando com educadores e observando o comportamento e atitudes de muitas crianças, percebemos que também em outras áreas se encontra o mesmo fenômeno: os pais têm renunciado à sua missão de educar os filhos e exigem que a escola e as outras instituições educacionais preparem os seus filhos para o mundo e para o futur

É uma realidade que nos assombra, porque muitas famílias estão desconhecendo uma das finalidades essenciais da união matrimonial: a educação dos filhos.  Renunciar à educação dos filhos é renunciar à participação na obra criadora de Deus, é macular o próprio matrimônio.

Educar os filhos, mais do que um dever, é um direito próprio e primário dos pais. O Concílio Vaticano II afirma que ‘os cônjuges, munidos com a dignidade e o múnus da paternidade e maternidade, cumprirão diligentemente o ofício da educação, sobretudo religiosa, que em primeiro lugar compete a eles’ (GS 48). O Concílio diz que os primeiros educadores e formadores dos filhos são os pais e não a escola ou outras instituições.

A educação dos filhos é, na verdade, um verdadeiro ministério, que Santo Tomás não hesita em compará-lo ao ministério dos sacerdotes: «Alguns propagam e conservam a vida espiritual com um ministério unicamente espiritual: é a tarefa do sacramento da ordem; outros fazem-no quanto à vida corporal e espiritual o que se realiza com o sacramento do matrimônio, que une o homem e a mulher para que tenham descendência e a eduquem para o culto de Deus» (FC 39)..

Em Aparecida, os Bispos afirmaram que os ‘pais devem tomar nova consciência de sua alegre e irrenunciável responsabilidade na formação integral dos filhos’ (DA 118). No entanto, para que os pais tomem consciência de sua responsabilidade é urgente uma nova atitude da Comunidade eclesial, porque fora da Comunidade não há real interesse em promover a missão educativa dos pais; temos no mundo uma onda desagregadora da família e da missão dos pais na família e junto aos filhos.

Cabe a nós, enquanto membros das comunidades fomentar este ministério sagrado desde a catequese, passando pela homilia dominical e pelas pastorais das Comunidades, para que os casais possam redescobrir a beleza da sua vocação ao matrimônio e seu direito à dedicar-se com zelo no serviço de educar os filhos. 

 

Dom Sergio de Deus Borges- Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Santana